investir

Como começar a investir

Investir é uma forma de “emprestar” dinheiro e receber uma renumeração em retorno. Investimento financeiro é a melhor forma de garantir mais dinheiro no futuro.

Você acha que é necessário ter uma alta quantia para investir? Está muito enganado, pois é possível começar com apenas R$ 30. Quer saber qual é o primeiro passo?

Como começar a investir?

Não adianta ter dinheiro e não saber o que fazer com ele. Antes de escolher o investimento, estabeleça metas. O que você quer: carro? casa própria? fazer um intercâmbio?

Depois de encontrar seus objetivos, estipule o tempo. Separe cada objetivo em metas de curto, médio e longo prazo. Ou seja, o que você quer para daqui a um, cinco ou dez anos?

Determinado objetivo e tempo, é preciso poupar. É impossível começar a investir se não sobra nada da sua renda ao final do mês. Reserve uma quantia mensalmente e escolha qual o melhor investimento para seu objetivo.

Investimentos financeiros para iniciantes

Há inúmeros tipos de investimentos e podemos separá-los em duas grandes categorias: renda fixa ou variável.

Renda fixa é o tipo de investimento em que o investidor prevê a rentabilidade antes mesmo de aplicar o dinheiro.

Ele é assegurado pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), o mesmo seguro da famosa Poupança.

Renda variável é o tipo de investimento cujo retorno é imprevisível.

Você pode triplicar o que foi aplicado ou perder tudo e ainda sair no prejuízo. É o caso de investimentos em ações da Bolsa de Valores.

Abaixo você encontra os investimentos mais famosos de renda fixa.

Poupança

Poupança ou Caderneta de Poupança é o investimento mais conhecido entre os brasileiros.

Não é necessário ter um valor mínimo alto para aplicar, é isento no imposto de renda e de IOF (imposto sobre operações financeiras).

A rentabilidade da Poupança é definida pelo Banco Central, ou seja, rende o mesmo em qualquer banco.

Como rende?

A Poupança é um dos investimentos que menos rende.

Desde 2012, passou a ser renumerada por meio de dois fatores.

O investimento paga 70% da taxa Selic quando os juros está em baixa, ou seja, até 8,5% ao ano.

A Selic é a taxa básica da economia no Brasil definida de tempos em tempos pelo Banco Central. Sendo a mais importante de todas, ela serve de parâmetro para outras taxas.

Quando está em alta, o rendimento é de 0,5% ao mês mais a TR (Taxa Referencial).

A TR é outra taxa de juros definida pelo BC. É determinada por meio de pesquisa com os 30 maiores bancos do país, analisando as taxas de juros dos CDBs.

CDB

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é um investimento seguro se você investir até R$250 mil, pois é o valor máximo que o FGC cobre.

Funciona como um empréstimo ao contrário. Você empresta dinheiro aos bancos e recebe o valor corrigido com juros.

Como rende?

Há três tipos principais de CDB: pós-fixado, prefixado e híbrido (que paga a taxa de juros mais um índice de inflação).

O CDB pós-fixado rende de acordo com a taxa Selic ou CDI (Certificados de Depósito Interbancário).

Basicamente, CDI é a taxa que os bancos usam para emprestar dinheiro entre eles. Essa modalidade varia. A rentabilidade do CDI pode ser de 70% em algumas instituições e, em outras, 115%.

É necessário pesquisar e comparar as aplicações no seu banco ou corretora.

O CDB prefixado rende segundo uma taxa de juros já estabelecida antes.

Como o preço é fixo, vale mais a pena quando a taxa de juros cai.

Por último, o CDB híbrido é a junção dos CDBs anteriores. Você recebe uma parte da rentabilidade prefixada e a outra, pós-fixada.

LCI ou LCA

A LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e a LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) são empréstimos, como o nome já diz, para a agentes do mercado do ramo imobiliário e de agronegócio.

Como rende?

Funcionam igual ao CDB. Os LCs são investimentos híbridos, prefixados e pós-fixados e isentos de Imposto de Renda.

Em geral, quanto mais tempo você deixar o dinheiro na aplicação e quanto mais alto for o volume financeiro investido, maiores são as rentabilidades.

Há outros investimentos financeiros. Depois de decidir qual o melhor para você, escolha por qual meio irá investir:

Corretora online ou banco?

As corretoras disponibilizam mais opções de investimentos, possuem menos taxas ou taxas mais baixas e não cobram na hora de abrir uma conta.

Os bancos vende apenas investimentos próprios, mas proporcionam comodidade pois não é preciso fazer transferências para investir.

Ambas instituições financeiras são seguras e nada impede ter uma conta em cada uma. Veja o que o banco e a corretora oferece, compare e aplique onde for mais vantajoso.

Leia também: “Universitários: como poupar mais dinheiro”

Post Relacionados

Deixe uma resposta