sair das dívidas

5 passos para sair das dívidas

Imprevistos acontecem e o melhor jeito é focar em soluções. O problema não é entrar em uma dívida, mas sim não cometer os mesmos erros depois de quitar esse débito. Queremos te ajudar a sair desse sufoco! Siga esse cincos passos para sair das dívidas de uma vez por todas.

1 – Não procrastinar

Para quem deve, o tempo – e os juros – é o pior inimigo. O primeiro passo é aceitar a dívida, economizar e organizar os pagamentos. Para isso, pequenos sacrifícios são necessários. É preciso adiar o conforto que você tem agora para estar confortável no futuro.

Veja na sua rotina onde é possível cortar gastos. Por exemplo, deixe de comer fora todos os dias e comece a fazer compras, cozinhar e preparar marmitas para o trabalho.

2 – Conhecer sua dívida

Entenda o tamanho e a proporção que o problema pode tomar se não for quitado agora.

Existe diferença entre apenas saber que há uma dívida e estar consciente da consequência que ela pode ter na sua vida. Tendo claro o tamanho do débito e as respectivas taxas, é possível prever a trajetória que ela tomará e encontrar soluções mais acertivas.

Omitir dívidas é adiar problemas inevitáveis. Se você a conhecer bem, conseguirá controlá-la.

3 – Fazer uma planilha de orçamento para sair das dívidas

Nesse tipo de planilha, você consegue visualizar todos os seus gastos. Desse modo, você para de achar quais são suas despesas maiores, e começa a ter precisão da origem do gastos. Esse é o segredo de planejamento na hora de economizar.

4 – Negociar a dívida

A melhor forma de sair das dívidas é pagando-as à vista. Caso não seja possível, o próximo passo é renegociar com a instituição bancária.

Tenha em mente que o banco tem grande interesse em receber o dinheiro e você terá chances de fazer um acordo que agrade ambas as partes. Para a instituição, é mais vantajoso diminuir o valor das parcelas ou  taxas para que seja possível efetuar o pagamento, do que tornar cobrar preços que você não pode pagar. Mas lembre-se : renegocie o quanto antes!

5 – Diminuir os juros da dívida

No cenário mais pessimista, há uma saída. Se você precisa de tempo, a solução é começar uma nova dívida com juros menores mas quitar a atual.

Por exemplo, se a sua dívida é no crédito rotativo – aquela em que as parcelas não pagas são cobradas na fatura do próximo mês, acrescida de juros – pode ser substituída pelo crédito consignado – empréstimo cujas parcelas são debitadas direto do seu salário.

As taxas desse tipo de empréstimo são menores e vão te ajudar a pagar o menor preço possível ao longo do tempo.

Post Relacionados

Deixe uma resposta