5 fatos que você precisa saber sobre Bitcoin

Apesar do Bitcoin ser uma criptomoeda muito popular e bastante comentada entre todos, são poucas as pessoas que realmente entendem como ela funciona. Mesmo o mais conhecedor de tecnologia não consegue estar a par de todas as informações envolvendo a moeda.

É muito provável que você já tenha ouvido falar sobre esse universo, envolvendo não só Bitcoin, mas também toda a criptografia. Atualmente, existem cerca de três mil criptomoedas listadas no CoinMarketCap, e esse número não tende a diminuir.

Entre todas, o BTC, além de ser a criptomoeda mais conhecida, é também a com maior valor de capitalização de mercado. Mas mesmo o Bitcoin sendo pauta em diversas conversas entre empresários e acionistas, muitos ainda não sabem sobre a moeda.

Para entender o potencial das criptomoedas e o desenvolvimento do mercado, não é preciso gastar horas lendo sobre o complicado universo de Blockchain e criptografia. Basta apenas entender em um nível básico sobre o que elas realmente são.

Por isso, separamos cinco fatos interessantes que você precisa aprender sobre Bitcoin e criptomoedas. Confira:

Ninguém sabe quem criou o Bitcoin

Mesmo depois de dez anos desde seu lançamento, o que se sabe é que o criador é Satoshi Nakamoto. No entanto, não há informações sobre sua identidade ou se é apenas uma pessoa ou um grupo. Baseado no nome, acredita-se que seja um homem japonês.

Porém, o white paper no qual o Bitcoin foi escrito estava em inglês, o que levanta dúvidas sobre essa hipótese.

Há cinco anos, a Newsweek afirmou ter encontrado o inventor do Bitcoin. Ele era um ex-engenheiro e desenvolvedor de 64 anos, chamado Dorian Prentice. Mas, Dorian negou a alegação. E o surgimento de novos rostos não parou.

Em 2015, o empresário Craig Wright anunciou publicamente ser o criador. Mas, Craig não ofereceu nenhuma evidência concreta que evidenciasse essa informação.

Há hipóteses, vindas de cripto-entusiastas de que os especialistas em criptografia, Nick Szabos e Hal Finney, podem ser os rostos por trás de Nakamoto. Contudo, sem confirmações diretas. Ainda assim, é confirmado de que Nakamoto, quem quer que ele seja, é rico. E muito.

É estimado que o criador da criptomoeda tenha minerado um milhão de BTC, o que equivale por volta de US$6,5 bilhões.

O primeiro uso de Bitcoins foi com pizza

O programador Laszlo Hanyecz, em 22 maio de 2010, trocou 10.000 Bitcoins por duas pizzas da marca Papa John. Essa foi registrada como a primeira compra de mercadorias usando a criptomoeda. Tanto que 22 de maio se tornou o Bitcoin Pizza Day, comemorado por muitos entusiastas da criptografia.

Leia também: Calvin Klein passa a aceitar bitcoins em lojas de São Paulo

Na época, 10.000 Bitcoins valiam cerca de US$41. Em dezembro de 2018, essa mesma quantidade de BTC valia US$64 milhões.

Haverão apenas 21 milhões de Bitcoins

Diferente do nosso dinheiro fiduciário padrão, uma hora, pessoas não vão poder continuar criando a criptomoeda. Bitcoin tem uma oferta limitada de 21 milhões de unidades. Atualmente, cerca de 17,3 milhões já estão em circulação e há uma previsão de que o último Bitcoin será extraído em 2140.

Depois disso, nenhum novo poderá ser criado.

Leia também: Aprenda a iniciar seus investimentos em criptomoedas

A criptomoeda não é criada do nada

O processo de criação de um Bitcoin é chamado de mineração. Esse processo é integral, no qual novas moedas são emitidas e transações são confirmadas em uma rede Blockchain. Essa atividade, por sua vez, exige muita energia, hardware especializado e largura de banda.

Então, caso esteja pensando em minerar BTC no seu computador, prepare-se para as exorbitantes contas de luz. Até porque, segundo a Power Compare, mineração de BTC consome mais eletricidade que 159 países.

BTC não pode ser banido

Constantemente saem notícias de países tentando banir a criptomoeda de suas regiões. Porém, o Bitcoin é projetado de uma maneira na qual ele não pode ser banido.

Devido aos nós distribuídos em todo o mundo, nenhum governo consegue desligar toda a rede descentralizada. Além do fato de todas as transações que envolvem a moeda serem irreversíveis. Ou seja, ninguém pode impedir outra pessoa de enviar ou receber Bitcoin.

No entanto, em países como Marrocos, Bangladesh e Vietnã, é considerado ilegal a negociação. Por outro lado, Japão, Austrália, Venezuela, Suíça e Singapura são países que estão adotando a tecnologia Blockchain e reconhecendo a moeda como legal.

Leia também: Mastercard aposta no futuro sem dinheiro físico

FONTE

Post Relacionados

Deixe uma resposta