Qual será o futuro da agricultura?

O título pode parecer estranho, ainda mais em um blog sobre dinheiro. Porém, saiba que o futuro da agricultura tem tudo a ver com o sistema financeiro. Isso porque, até 2050, o planeta Terra chegará a 9,1 bilhões de habitantes. Por isso, a produção global de alimentos terá que aumentar em 70% em relação aos níveis de 2007.

E para isso, a agricultura terá que ser mais digital. Desde o início, agricultura e tecnologia vivem uma relação íntima. Tanto que, atualmente, vemos vários recursos que integram para aprimorar os processos agrícolas  – de robôs autônomos a inteligência artificial.

Para o chefe de agricultura robótica da Harper Adams University, Simon Blackmore, o mundo vai presenciar uma verdadeira disrupção na produção agrícola nos próximos anos. A fazenda do futuro, então, será totalmente automatizada, com sensores para administrar e gerenciar recursos naturais.

Leia também: Agricultura: um dos principais motores da economia

E isso, claro, acaba envolvendo o sistema financeiro.

Como vai funcionar a evolução na agricultura?

A Inteligência Artificial terá uma forte presença nas fazendas do futuro. Atualmente, produtores de leite já usam leiteiras robóticas. E os fabricantes já estão testando protótipos de tratores e pulverizadores para lidar com trabalho de campo sem motoristas humanos. E o salto do protótipo para operação comercial tende a ser curto.

Tanto que uma boa parte das novas máquinas já está chegando ao mercado equipada com eletrônica para controlar operações com pouca interação humana.

Outra tecnologia possível é a de drones. Segundo um relatório do Bank of America Merrill Lynch Global Research, essa indústria, nos próximos dez anos, deve gerar 100 mil empregos nos Estados Unidos. E com isso, movimentar cerca de US$82 bilhões.

Há também outra que permite criar soluções totalmente online. E que são capazes de medir a produtividade de áreas agrícolas de qualquer tamanho em apenas um clique. E isso beneficia não apenas o agricultor, como também o sistema financeiro, como bancos, empresas de crédito rural, seguradoras e outros agentes.

Edição de culturas de genes também pode se tornar comum. Ela vai permitir aos cientistas editar genes no DNA com o objetivo de criar uma variedade melhor de culturas. No futuro, essa prática pode possibilitar que agricultores selecionem tipos de culturas específicas que tenham características como resistências a diferentes doenças.

Como garantir uma futura agricultura mais sustentável? 

Disponibilidade de água, impactos ambientais e saúde do solo, são elementos que ainda vão continuar desafiando os produtores. Porém, as novas tecnologias os ajudarão a lidar com essas questões com mais eficiência.

Nesse quesito, há sistemas de monitoramento por sensores e satélites que conseguem estimar produtividade, previsão e até histórico de safras de qualquer área agrícola do mundo. Isso pode auxiliar na tomada de decisões em diferentes setores e dimensionar o crescimento de plantas, umidade e composição do solo, por exemplo.

Isso pode causar uma menor utilização de produtos químicos e menos impacto ambiental.

Leia também: Como computação em nuvem pode ajudar empresas?

Agricultura interna é outro fenômeno que vem ganhando popularidade. Isso permite que grandes quantidades de verduras e produtos frescos sejam produzidos em ambientes urbanos com espaço mínimo e com quantidades menores de água, comparado com uma fazenda tradicional.

Fazendas urbanas pode ser tão simples quanto as pequenas hortas comunitárias ao ar livres. Ou até tão complexas quanto as fazendas verticais indoor. Essas fazendas complexas e futurísticas podem ser configuradas de várias maneiras, mas a maioria contém fileiras de prateleiras forradas com plantas enraizadas no solo.

FONTE

Post Relacionados

Deixe uma resposta