Liberdade financeira: 3 sacrifícios que devem ser feitos

Chegamos a um ponto da nossa vida que nos perguntamos se estamos satisfeito com nossa realidade financeira. Principalmente em relação ao salário. No fim, a conclusão é que, atualmente, você pode ganhar mais do que ganha hoje. Não só pode, como deve. Afinal, todo mundo busca sua liberdade financeira.

Não é bem uma regra, mas estudiosos fazem reflexões sobre a época dos 25 aos 45 anos serem os melhores da vida. Até porque muitos consideram a fase de maior crescimento na carreira profissional. Porém, esse tipo de pensamento vai mudando de geração para geração.

Na época dos nossos bisavós, por exemplo, a vida era mais simples. Em alguns casos, faltava apenas o básico. Na geração seguinte – dos avós – houve uma melhora na qualidade de vida. A moradia já era melhor e muitos chegaram a completar os estudos. Na geração dos nossos pais, isso evoluiu ainda mais – claro, com exceções.

Na geração atual, passamos por problemas. Alguns até piores que da geração anterior. Isso devido a crises financeiras, que diminuíram o número de empregos e, consequentemente, diminuíram as perspectivas. Antes, tudo era mais garantido, devido a estabilidade econômica que o país estava.

Esse modelo não existe mais hoje. Uma formação não é uma garantia concreta para conseguir emprego ou estabilidade.

Isso faz com que muitos sacrifiquem a vida pessoal para conseguir trabalhar mais, para aumentar o lucro. E conseguir o mínimo de liberdade financeira.

Leia também: Saiba como juntar seus primeiros R$100 mil

Alcançar a liberdade financeira 

Pelo cenário atual, é preciso aprender a se transformar. Ou você espera continuar vivendo de acordo com o modelo da geração passada? Como mostramos, ir à faculdade, tirar boas notas e conseguir o diploma já não garante o emprego dos sonhos.

Caso você ainda acredite nisso, é preciso mudar. E mudanças exigem sacrifícios. Confira então os três que precisam ser feitos para atingir a então liberdade financeira.

Trabalho atual

O primeiro passo é ter clareza sobre o que você quer da vida. Com isso, estabeleça o seu objetivo profissional. Ainda é possível seguir uma carreira tradicional em uma empresa, então se esse for o seu objetivo, não abandone-o.

Também é possível ser um profissional autônomo, freelancer, ter clientela própria e ainda fazendo o que gosta. Afinal, a internet mostrou que isso é realmente possível. Ou até mesmo querer ser um servidor público. Adivinha? Isso também é possível.

Não importa o que for, saiba exatamente o seu objetivo profissional. Porque, sem esse objetivo em mente, vai ser mais difícil ganhar dinheiro. Quando você escolhe caminhos conflitantes, seu potencial é desperdiçado. Porém, quando passa a ter plena certeza sobre aquilo que quer fazer, é hora de fazer o que deve ser feito.

Coloque ideias em prática. Arrisque, erre e aprenda com eles. Passe a controlar seus riscos e não pare. Lembre-se que trabalhar em algo que você não gosta é tempo desperdiçado. Por isso, invista em você.

Ao conseguir uma renda significativa, é hora de passar a investir, também, o seu dinheiro. Afinal, é importante ter duas fontes de renda.

Leia também: A importância de diversificar os investimentos

Conforto presente pelo futuro 

Isso é algo que você precisa sacrificar. É possível fazer isso dentro de um desafio dos 30 dias. O primeiro passo do desafio é compartilhar os seus três pilares da construção de riqueza. No caso:

A primeira tarefa do desafio é anotar seus gastos pelo próximo mês. E da maneira mais simples possível. A segunda tarefa é consolidar todas as despesas em uma planilha de gastos. A terceira e última tarefa é analisar os seus gastos, assim, é possível elaborar um orçamento pessoal para o próximo mês.

Leia também: Autossabotagem: 6 mentiras financeiras que contamos para nós mesmos

Comodidade e zona de conforto 

Sacrifique essas duas características da sua rotina. E para isso, envolve investimentos. Consequentemente, envolve desafio. Nesse caso, é um desafio para fazer o seu dinheiro trabalhar pra você e ele chama “investir R$100 no Tesouro Selic“.

Caso você já invista no Tesouro Selic, o desafio então é subir mais um degrau. Então, passe a investir em títulos privados, seja um CDB, LC, LCI ou LCA. Se também já faz isso, passe a investir em uma debênture, fundo multimercado, fundo imobiliário ou diretamente em ações.

Definitivamente, só fazer isso não garante a liberdade financeira. Porém, só o fato de colocar o dinheiro para trabalhar já muda as perspectivas sobre investimentos. Com isso, você passa a desenvolver mais sua autodisciplina para investir com regularidade, além de motivação para ir atrás de novos conhecimentos.

Independente da sua vontade, é responsabilidade sua se transformar diante da mudança do mundo. E, para isso, é necessário escolher o caminho fácil ou o difícil.

FONTE

Post Relacionados

Deixe uma resposta