arrendamento

O que é arrendamento?

Basicamente, arrendamento é fornecer a alguém um bem – seja ele móvel ou imóvel – para que outra pessoa o utilize. Porém, isso não é uma doação. Quem está usando o bem tem a obrigação de pagar um valor mensal, previamente combinado.

A pessoa que paga pelo bem é conhecida como arrendatário. Enquanto isso, a pessoa que disponibiliza o bem é o arrendador.

Qual a diferença entre arrendamento e aluguel?

Pode até parecer que o arrendamento seja igual ao aluguel, entretanto isso não é a realidade.

Quando uma pessoa arrenda um imóvel, por exemplo, ela paga um valor mensal para o dono do local. Se, após algum tempo, essa pessoa decidir que deseja comprar esse lugar, o valor que era pago mensalmente será parte do valor da venda. Ou seja, é como se o arrendatário já estivesse pagando as parcelas da compra.

No caso do aluguel isso é diferente. Quando uma pessoa aluga um imóvel, ela paga mensalmente apenas pelo uso do local. A diferença é que, caso a pessoa decida comprar o lugar, o valor será estabelecido à parte. Ou seja, ignora-se tudo o que foi pago como aluguel. O valor pago é determinado de acordo com o preço de mercado.

Tipos comuns de arrendamento

Comercial – arrendamento de estabelecimentos comerciais. O arrendatário é responsável pelo negócio, sofrendo com suas despesas e se beneficiando dos lucros;

Urbano – quando uma parte oferece o direito de uso – parcial ou total – de um prédio urbano;

Rural – dá o direito do arrendatário usar – total ou parcialmente – um espaço agrário. Geralmente, isso se dá para fins de produção, como a pecuária;

Royalty – arrendamento de invenções. Esse tipo de arrendamento costuma acontecer quando uma pessoa cria algum produto novo, mas não tem condições financeiras para comercializá-lo;

Mercantil – também conhecido como leasing. É o arrendamento de bens. Nesse caso, o arrendador é uma pessoa jurídica, que fornece máquinas, automóveis etc. Ele é dividido em duas formas:

Arrendamento Mercantil Operacional

É mais semelhante ao aluguel. Nesse caso, o arrendatário não expressa desejo de ficar com bem como posse própria, por isso, não é responsabilizado por todos os riscos e benefícios do que foi arrendado.

Além disso, essa pessoa pode usar o bem por menos tempo do que sua vida útil completa. Por exemplo: se alguém arrenda um carro que tem vida útil prevista de 10 anos. Será preciso devolver o automóvel antes desse prazo, provavelmente, com 8 anos de uso.

Arrendamento Mercantil Financeiro

Esse tipo de arrendamento é mais semelhante a um financiamento. Nesse caso, o arrendatário demonstra o desejo de ficar com o bem para sempre. Por isso, os pagamentos mensais são como parcelas.

Por isso, o arrendatário é quem fica com os riscos e benefícios.

Fontes 1, 2 e 3

Post Relacionados

Deixe uma resposta