O que são Fundos Imobiliários?

Aqui no Dinheiro 360 já falamos diversas vezes sobre investir em imóveis e o quanto a ação traz várias vantagens. Seja tanto alugando quanto vendendo, investir em imóveis é uma opção muito válida no mercado pela boa rentabilidade e segurança. No entanto, ainda é um mercado muito caro, e é nesse momento que entram os Fundos Imobiliários.

Pelo alto valor, muitas pessoas acabam não arriscando tanto esse tipo de investimento. Há também o fato de ser um processo demorado, ainda mais quando você investe em imóveis ainda na planta.

Todavia, como foi dito, existem os Fundos Imobiliários. Há tempos eles vêm ganhando cada vez mais popularidade no mercado financeiro. E por isso vamos explicar como os Fundos Imobiliários funcionam e como investir.

FIIs

A sigla, referente a Fundo de Investimento Imobiliário, é referente a um grupo de pessoas com o objetivo de investir em ativos imobiliários. Nesse grupo, cada um investir um valor e a soma é administrada por um gestor. Ele, então, fica responsável para encontrar e realizar os investimentos que vão garantir maior rentabilidade.

Normalmente, os ativos do FII são empreendimentos imobiliários. No entanto, alguns fundos estão relacionados com títulos imobiliários ou cotas de outros fundos.

Mas essa não é a única maneira de investir em título imobiliário. Por isso vamos mostrar algumas outras sugestões.

Tipos de Fundos Imobiliários

Tijolo

Os Fundos de Tijolo são focados em empreendimentos físico. Nesse caso, a política dos fundos está em investir na aquisição, construção ou aluguéis de imóveis comerciais. Algo como shoppings, hospitais, faculdades, entre outros.

O objetivo desse tipo de fundo é encontrar pessoas ou empresas que desejam utilizar esses imóveis. O fundo acaba recebendo, em troca, uma renda mensal de aluguel, que é distribuída entre os investidores.

Papel 

Por sua vez, os fundos de papel procuram investir em títulos financeiros vinculados ao mercado imobiliário. Como por exemplo LCI ou CRI. O lucro, então, vem dos juros e dividendos pagos pelos títulos ou vendidos.

Nesse caso, o fundo de papel tem uma boa rentabilidade, mas sem ser tão expositivo quanto os fundos de tijolo.

Investimento nos Fundos Imobiliários

Para começar o investimento, a instituição responsável precisa apresentar um documento de mercado. Ele precisa informar a política de investimentos e as diretrizes gerais do futuro fundo. E então, é feita a primeira oferta do FII.

Nisso, as cotas do fundo são emitidas e colocadas no mercado. E quem tiver interesse, compra a quantidade desejada. Depois de arrecadar o capital, o gestor começa a receber os ativos. Os ativos vão variar conforme as políticas de cada proposta.

Depois da abertura, o fundo ganha um código para ser identificado e recebe o nome de ticker. Esse código pode ter as cotas negociadas na Bolsa de Valores, igual as ações de uma empresa.

E para você começar a investir, confira esses passos necessários:

  • Escolha uma boa corretora: por ela ser o intermediário entre a compra e venda das cotas, é essencial escolher uma de qualidade e confiança.
  • Abra uma conta: depois de definir sua corretora, realize o cadastro com dados bancários e documentos.
  • Transfira dinheiro: antes de qualquer investimento, envie o dinheiro para a conta da corretora.
  • Escolha o fundo: como o mercado oferece vários fundos imobiliários, passe um tempo pesquisando para definir o fundo certo. Analise os ativos, número, histórico da rentabilidade, a solidez dos fundamentos e a administração.

Hora de investir 

No momento do então esperado investimento, é preciso enviar uma ordem de compra através da sua corretora para adquirir as cotas desejadas do fundo. Nisso, você ó precisa digitar o código do fundo, a quantidade desejada e o valor que deseja pagar.

Sua oferta é enviada para o mercado. Caso houver um participante do fundo dispositivo a vender as cotas pelo valor colocado por você, então o negócio é fechado.

FONTE

Post Relacionados

Deixe uma resposta