Banco Central

Presidente do Banco Central destaca laboratório de inovação

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, atestou que o Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (Lift), lançado em evento na sede do BC, é uma “importante iniciativa de fomento à inovação baseada em colaboração e com alto potencial de geração de resultados ao Sistema Financeiro Nacional (SFN)”.

Goldfajn declarou que “desde o final de 2016 o BC vem comandando uma ampla agenda de trabalho que tem como objetivo revisar questões estruturais do BC e do SFN, gerando benefícios sustentáveis para a sociedade brasileira”. O Lift,estima que com iniciativas associadas ao conteúdo adjunto aos quatro pilares temáticos da Agenda BC+.

“O Lift consiste em um espaço virtual colaborativo no qual poderão participar fornecedores de tecnologias, agentes da academia e membros da sociedade com vistas à proposição, ao desenvolvimento e à análise de projetos de inovação tecnológica especialmente aplicados à indústria financeira”, afirmou.

Segundo Ilan Goldfajn, as inovações financeiras têm uma grande capacidade de geração de valor à sociedade brasileira. “Por exemplo, o Brasil é um dos pioneiros no uso de tecnologia para o aumento da inclusão financeira.

Nesse contexto, o Lift pode ser uma oportunidade importante para proposição de soluções que se traduzam em ampliação da inclusão financeira e, consequentemente, do desenvolvimento econômico e financeiro do País”, alegou ele.

Ilan usou ainda como exemplo, o acatamento do desenvolvimento de tecnologias para diminuição de papel como moeda. “Temos acompanhado debates e a evolução de iniciativas em nível internacional, buscando consolidar e aprofundar a compreensão sobre o tema”, disse.

Ilan Goldfajn se conteve em seu discurso ao tratar a respeito de questões apostas ao laboratório.

O primeiro dia do período de discrição e até mesmo silêncio do Comitê de Política Monetária (Copom),começou numa quarta-feira do mês de maio, e no correr da semana seguinte definirá o novo patamar da Selic (a taxa básica de juros), atualmente em 6,50% ao ano.

FONTE

Post Relacionados

Deixe uma resposta