São Paulo inaugura mercado automatizado

É bem provável que você já tenha visto um vídeo de um minimercado da Amazon, onde os clientes entram, escolhem e saem, já com produto pago, e sem filas ou caixa. Bem, se você já assistiu a esse vídeo do mercado automatizado que funciona em Seattle, nos Estados Unidos, saiba que agora já tem no Brasil.

A primeira unidade do mercado automatizado da Zaitt, abriu em Vitória (ES), há dois anos. Agora, um modelo mais sofisticado chegou em São Paulo.

A unidade, que funciona tanto como um mercado, quanto como uma loja de conveniência, fica aberta 24 horas, todos os dias. Seguindo o objetivo, o estabelecimento não conta com nenhum funcionário, incluindo segurança. O único presente é o repositor, responsável por receber os produtos e aloca-los na loja.

Leia também: Calvin Klein passa a aceitar bitcoins em lojas de São Paulo

Funcionamento

O primeiro passo é realizar um cadastro. No caso, não será possível entrar na loja diretamente na primeira vez. Esse cadastro é feito através do aplicativo da Zaitt. Nele, você preenche o formulário com nome, CPF, cartão de crédito e uma selfie – que servirá como um reconhecedor facial, posteriormente.

Através do app, você entra la loja depois de escanear um QR Code. Ele funciona para abrir a primeira porta. Nisso, você entra em um espaço – entre a primeira porta e a loja – ali, é realizado o reconhecimento facial. Após a confirmação, você, enfim, entra. E então, é só escolher o que vai levar.

Na loja de São Paulo, os alimentos são registrados através de um sistema de sensores. Cada produto possui seu próprio sensor, chamado RFID. Que funciona de maneira parecida com o sistema do Sem Parar, para carros. Por sua vez, na loja de Vitória, isso ainda não é possível, exigindo que os produtos sejam escaneados.

Na hora de sair, há um outro sensor que reconhece o rosto do cliente. Então, você retorna para uma espécie de cabine, onde fica localizada a tela de cobrança. Nela aparece a lista com todos os produtos adquiridos. Caso estiverem todos na lista, é só confirmar que a segunda porta se abre para ir embora.

A cobrança, no caso, é realizada através do cartão de crédito cadastrado.

Melhorias necessárias

O sistema ainda não se mostrou 100% efetivo. Há chances de algum produto acabar não sendo reconhecido pelos sensores, exigindo que o cliente realize o processo de escaneamento.

Outro ponto é que é possível entrar na loja sem ter o cadastro. Para isso, precisa que você esteja com alguém que tenha feito. Consequentemente, isso influencia na saída, já que, só será possível sair junto com o usuário cadastrado. Ou seja, apenas a pessoa com o aplicativo que pagará.

Inclusive, o próprio sistema de pagamento não demonstra tanta funcionalidade. Isso porque falta um scan de cartão de crédito ou conexão com carteiras digitais, por exemplo.

Parceria do mercado automatizado

A unidade de São Paulo do mercado automatizado veio em parceria com o Carrefour. Porém, detalhes dessa união não foram reveladas. E nem os números de investimento.

Por sua vez, na loja de Vitória, foram investidos inicialmente R$400 mil, faturando R$300 mil nos primeiros seis meses, segundo o presidente da Zaitt, Adalberto Calonego. Hoje, a unidade do Espírito Santo conta com cerca de duas mil vendas por mês.

“O ticket médio (valor médio por compra) está aumentando, o que fez com o que o faturamento aumentasse também. A Zaitt tem custo fixo mais baixo do que uma loja com funcionários”, afirma Calonego.

FONTE

Post Relacionados

Deixe uma resposta