Tarifa: conheça bancos digitais que não cobram

Além da fatura, contas e pagamentos, o banco sempre encontra espaço para aquela taxinha mensal. Na teoria, a tarifa aparenta ser pequena e até inofensiva, afinal, são só alguns centavos ou reais. Isso porque, na maioria das vezes, ela aparece disfarçada, sem que o usuário note. No fim, esses pequenos valores tiram uma boa grana da conta no final do mês.

Bem, como ela funciona? A estratégia da tarifa é bem clara e simples. Ela é introduzida mensalmente para confundir o usuário entre os muitos nomes e operações que existem. Para conseguir enfrentá-las da melhor forma possível é ler as letras miúdas com muita atenção.

Olhando por esse lado existe uma discussão sobre a tarifa funcionar da mesma maneira que a manutenção. Mesmo funcionando iguais, as duas não são a mesma coisa. Isso porque a manutenção funciona como um pacote de serviços que você contrata ao abrir uma conta. Então, se você pagar essa manutenção todo mês, você tem direito a algumas atividades.

A tarifa, no entanto, é o valor cobrado pelo banco a cada operação realizada. Caso a tarifa esteja dentro do limite do seu pacote, você não paga. Porém, se ultrapassar, então é menos dinheiro na conta. Alguns bancos oferecem sugestões para evitar as tarifas. Mas, uma opção para minimizá-las ou excluí-las completamente é optar pelos bancos digitais.

Leia também: 6 mentiras financeiras que os bancos dizem

Bancos digitais x tarifa

Atualmente, a sociedade depende cada vez mais da tecnologia. Afinal, muita evolução surgiu graças a ela, principalmente quando envolve dinheiro. Como já mostramos aqui sobre bancos digitais, eles se provaram o futuro das finanças. Seja pela segurança ou pelas formas de investimento.

Uma dessas mudanças é justamente em relação a tarifa. Por mais que bancos oferecem pacotes, bancos digitais andam cobrando menos ainda. E até eliminando. Ainda assim, sempre importante seguir a mesma lição: atenção com os detalhes, termos e condições.

NuBank: com uma estratégia de zero tarifa, o NuBank ganhou a confiança dos usuários. No entanto, o banco não está totalmente livre das tarifas. Com a nova opção de débito, o usuário pode realizar saques, porém, será preciso pagar uma taxa de R$6,50 a cada ação.

Leia também: NuConta e poupança: qual rende mais?

Inter: o banco garante não cobrar nenhuma. No entanto, em determinadas situações. Como, saques no banco 24 horas, emissão de boleto, anuidade do cartão e transferência.

Agibank: não cobra pela abertura ou manutenção. A conta limita operações, como saque e transferência, a uma quantidade determinada. Caso a marca seja ultrapassada, então é cobrada a tarifa.

Original: apesar de cobrar taxa, ela não é escondida. O banco deixa claro ao cliente que ele precisa pagar R$12,90 por mês para ter serviços ilimitados durante o ano.

BMG: garante uma conta 100% digital e sem tarifa.

FONTE

Post Relacionados

Deixe uma resposta